segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Linha de Passe


No sábado assisti ao filme brasileiro Linha de Passe, dirigido por Daniela Thomas e Walter Salles, aclamado em sua exibição em Cannes. As críticas internacionais foram super favoráveis e os atores todos trabalharam em uníssona perfeição de interpretação. O filme é um tapa na cara. É a dura realidade de quem vive na periferia das grandes cidades brasileiras. No caso, São Paulo é o cenário da desigualdade de classes e da luta pela sobrevivência. Para surpresa do público do cinema onde estava (o Unibanco Artplex do Shopping Frei Caneca), um dos atores do filme, João Baldessarini, entrou com microfone em punho desejando uma boa sessão e pedindo a divulgação boca a boca. É o que faço agora, pois o longa é de excelente qualidade em todos os aspectos: roteiro, elenco, direção. Emocionante, tocante, perturbador. Infelizmente a realidade de milhões de brasileiros. Imperdível. Na foto: José Geraldo Rodrigues, Daniela Thomas, Vinicius de Oliveira (sim, é o garotinho de Central do Brasil), Kaíque de Jesus Santos (roubou a cena), Walter Salles e João Baldessarini em Cannes.

6 comentários:

Claudia Pimenta disse...

oi marília! quero muito assistir... bjs, querida!

Pestaninha disse...

Podem me apedrejar, mas vou expressar minha opinião sincera.
Não agüento mais filme brasileiro que só mostra a nossa desgraça. O Walter Salles segue sempre a mesma linha! Pôxa vida, vira o disco! O que me dá mais raiva é que o cara arrasa na produção e faz mega sucesso lá fora. É triste mas é verdade, o Brasil tem uma realidade difícil, mas mostrar ao Mundo todo que aqui matamos uns aos outros por causa de um pente (essa cena é da Central do Brasil) choca demais e mostra uma realidade que, graças a Deus, não é a minha.
O Brasil é muito mais que isso. São inumeráveis nossas qualidades...Somos a maior flora do Mundo, temos diversidades culturais magníficas e além disso, somos o único país do Mundo que têm 2 lojas Tiffany´s na mesma cidade!!!Acho que deveríamos vender uma imagem lá fora que não fosse só futebol, mulata e desgraça. Temos muito o que melhorar sim e não sou a favor de taparmos o sol com a peneira, só acho que temos muito mais a mostrar do que favelas.
E tem mais, odeio ser olhada pelos gringos, como se fosse uma "índia" de calça Diesel.
Faça me o favor!!! Não vou assistir MESMO!!!

Marília disse...

Adoro polêmica!
Seu comentário é coerente sob seu ponto de vista, Ju.
Mas acho que esse tipo de cinema é super válido e necessário, cinema é realidade não só ficção.
Seria interessante mostrar o lado do Brasil que usufrui de duas lojas Tiffany na mesma cidade, do universos dos shoppings Iguatemi, Cidade Jardim, do boom imobiliário de altíssimo padrão... Acho até que alguns gringos conhecem essa realidade, mas convenhamos que é da minoria da população... Só 10% (estourando) dos brasileiros vivem com essa fartura de recursos, infelizmente. E outra, é do conflito que nasce a trama. Não há enredo sem drama. Enfim, é isso aí. Continuo achando um filmão de arrepiar e refletir. Façam seus comentários!

Bjos a todos!

Bianca disse...

Hi Girls!
Eu concordo 50% com o comentário da Pestaninha, e os outros 50% fico com a Marília. Realmente, os melhores filmes brasileiros mostram a dura realidade do país, o que com certeza suja a nossa imagem perante o mundo. Mas do conflito que nascem os melhores dramas que, sem dúvida, diz muito sobre a essêmcia do nosso povo. Por outro lado, acho que estava na hora dos nossos grandes cineastas, diga-se de passagem Fernando Meirelles e Walter Salles, pensar e se inspirar no Brasil da diversidade cultural, mercado do luxo, povo alegre e cheio de tantas outras qualidades que conhecemos tão bem.
Portanto assistirei Linha de Passe com certeza.
Mas meu coração ficará sempre na esperança de um filme que exalte a magnitude de nosso "mulato izoneiro".
Beijos!!!

Pestaninha disse...

Ah gente, eu concordo com vocês também,é a realidade da maioria, mas não é só isso! Temos muito mais que desgraça e tá na hora de mostrar. Não quero assistir ao filme, porque já vejo isso todos os dias. Me parte o coração toda vez que paro num cruzamento dessa SP linda e tem criancinha pedindo $$$, adolescente malabarista e velhinho vendendo bala...
Cinema pra mim é diversão, lazer, e não quero gastar meu dinheirinho com um filme que vai me deixar mais deprê ainda... Podem me chamar de Alice, mas prefiro ver Mamma Mia.
Bjs

Marília disse...

Jujuuuubs, mamma mia vc vai amaaaaaar, sério!!!!

sua cara! by the way, amei o happy hour semana passada, temos que repetir pra fofocar mais!

bjão