sexta-feira, 3 de abril de 2009

Água para elefantes


Pela terceira vez abandonei Dostoievsky. Não consigo avançar em Crime e Castigo. Vou tentar outra tradução, porque não é possível... Aquela agonia do rapaz, a penúria, o crime e todo o sofrimento e angústia que se seguem não me cativam em absoluto. Não consigo, não me é uma leitura prazeirosa... E leitura pra mim é prazer, gente... Enfim... Larguei o querido Dostô e agarrei Água para elefantes, da Sara Gruen. Toda emoção que não tive em 120 páginas lidas do russo, tive em 20 primeiras das escritas pela canadense. Chorei e tudo! Estou amando a história, vou devorar nesse final de semana. Não é a toa que ficou meses a fio na lista dos mais vendidos do The New York Times. É lindo.

3 comentários:

Mário Araujo disse...

Preciso voltar as clássicos...

Tania Pimenta disse...

Este livro é realmente ótimo, Marilia. Até recomendei a leitura dele no meu blog (http://blogandoarte.blogspot.com/2008/06/gua-para-elefantes.html).
Aproveite estas páginas de circo e idosos!
Beijins

Marília disse...

Nossa, é mesmo incrível esse livro. DE rir e chorar. Agors estou com A Moça do brinco de pérola... tb bom... Me recomendem clásicos! Dostoievsky é demais pra minha paciência no momento. Rs
bjs