quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Refletindo sobre dieta, verão e plus size

Marylin Monroe, que certamente hoje em dia seria considerada uma mulher plus size.
Mais um verão chegando, o shape tem que estar em cima para o famigerado biquíni, então estava aqui pensando com meus botões sobre como o padrão de beleza atual tem sido um pouco cruel com a maioria das mulheres. Nunca fui do tipo mignon, pelo contrário, sou grandona e de "ossos largos". Coloquei assim mesmo entre aspas porque na real ninguém sabe muito bem o que isso significa cientificamente, mas usamos essa expressão para designar uma mulher que tem quadril largo, por exemplo, por conta da estrutura óssea, sem que lá haja necessariamente um depósito de gordura. Meu caso. Outra designação que me aplica é a de "falsa magra". De jeans até pareço slim, mas de biquíni não dá pra disfarçar os excessos. A verdade é que desde os 16 anos encaro dietas (com não muita disciplina, confesso) algumas malucas, outras mais saudáveis e o máximo do mínimo que consegui foram 54 quilos, o que para minha altura de 1,70m e a já dita estrutura óssea, é bem razoável. Super vitória. Mas as formas botticellianas parecem gostar muito de mim e se materializam em tentações como bolos, pães, sorvetes, biscoitos e chocolates. Sim, meu maior crime são os doces! Em contrapartida, academia também não é algo que me atrai. Na realidade detesto. Os marombados à frente do espelho, as thutchucas de barrigas e piercings de fora e o constante flerte silencioso entre as duas partes me enoja. Além disso, o suor comunitário... Ter gotas caindo pela testa (mesmo com uma toalhinha ali sempre a postos) e ficar vermelha como um pimentão em frente a dezenas de pessoas não é exatamente meu ideal de diversão. Enfim, atualmente a balança me dá notícias numéricas pouco amigáveis que oscilam entre 58 e temíveis 60. Mas ok, deixem minha história pra lá. Ei de vencer esta guerra! Rs

O fato é: magras são mesmo mais bonitas e elegantes. Em matéria de moda, então, nem se fale. Tudo cai bem, tudo parece melhor. Anna dello Russo certamente não poderia desfilar por aí tantos modelitos minis e micros se não fosse magérrima. (OK, o correto segundo o léxico gramatical da nossa amada língua portuguesa é macérrima, mas sorry, não consigo! Não soa errado?) Bom, para que a moda contemporânea alcance todas as mulheres interessadas em se bem vestir, afinal a porcentagem da população feminina que veste 36 é ínfima, surgiram as modelos plus size. Lindíssimas moças com tamanhos generosos. Nos EUA, algumas são top como Crystal Renn, que estrelou editorial na Vogue francesa. Acho digno. 



Acontece que houve épocas em que esse padrão não existia. Ou melhor, o padrão era outro. Marilyn Monroe, um dos maiores símbolos sexuais e referência de beleza do mundo, hoje seria considerada uma atriz plus size. Choque, não é?
Marilyn diva: linda, loura e bem fofa.

4 comentários:

Nina disse...

Quem é uma magrela tipo Kate Moss pra se comparar a uma beldade linda, saudável como Marilyn Monroe!
As mulheres foram criadas para terem curvas, contornos, seios fartos, quadril e não aquela coisa esquálida, raquítica, parecendo que passa fome, e que não aparenta ser nada saudável. Pois eu tb tenho peito, bunda e curvas. E me orgulho disso. E com certeza, nos dias de hj, Marilyn ainda iria bombar! Antes pegar em carne do que em ossos!

Marília disse...

Oi, Nina, concordo com vc.
Obrigada pelo seu comentário.
esse é um assutno polêmico e que nos toca diretamente, achei que fossem haver mais manifestações. Comentem mais, gente! Don´t be shy, girls! :)

Jenifer Dias disse...

me identifiquei muito com seu caso de amor pelas dietas.. (amor! rs)
lindo post!
lindas modelos plus size =D

Baixinhas Estilosas disse...

Amei o seu blog, muito interessante mesmo, parabéns!!!
kiss